Pele com tendência oleosa? Não tem de ser um problema

Cuidado da Pele, Rugas | 26 Junho

Ana Rodrigues, médica

Legenda da imagem: Dra. Ana André Rodrigues, médica pós-graduada em Medicina Estética

Quem tem pele oleosa sabe que o stress, as alterações de temperatura e até mesmo a poluição podem refletir-se facilmente no rosto. E apesar de ser mais resistente a agentes agressores externos, é também um fator que predispõe ao aparecimento da tão temida (mas tratável) acne. Para a médica Ana André Rodrigues, procurar produtos apropriados, seguir uma rotina personalizada e ter alguns hábitos saudáveis diários pode ser o segredo para alcançar uma pele bonita e, ao mesmo tempo, protegida contra o envelhecimento precoce.

Uma corrida para o trabalho, uns minutos de sol numa esplanada, ou uma manhã de humidade podem arruinar o dia de uma pessoa com pele oleosa não tratada. “A pele oleosa apresenta produção de gordura aumentada. É, habitualmente, uma pele em que os poros estão dilatados e são claramente visíveis, com tendência a brilhos, a formar pontos brancos e pontos negros assim como acne”, descreve a médica Ana André Rodrigues, pós-graduada em Medicina Estética e autora do projeto theSkincare by AAR, em que cria rotinas de cuidados de pele totalmente personalizadas.

“Este tipo de pele é o mais influenciado por fatores intrínsecos e extrínsecos, como o stress, desregulações hormonais, medicação e até mesmo cosméticos comedogénicos, ou seja, com tendência a causar irritação e obstrução dos poros”, adianta.

Ter pele oleosa não é necessariamente mau

A pele oleosa dá trabalho e exige cuidados o ano inteiro. No entanto, Ana André Rodrigues destaca que é menos propensa à desidratação, visto que os seus óleos naturais lhe conferem uma barreira de proteção contra os efeitos dos agentes externos do dia-a-dia, como poluentes, fatores climatéricos extremos e radicais livres decorrentes da exposição solar. “Ter uma pele oleosa pode ser uma grande vantagem – desde que essa produção de sebo seja devidamente controlada”, explica a médica.

“Por serem habitualmente peles mais hidratadas e viçosas, a sua firmeza é superior às peles secas, fazendo com que os sinais da idade, como rugas e rídulas, se notem menos ou, inclusivamente, surjam mais tarde”, acrescenta.

Legenda da imagem: Photocorrection [Pure Age Perfection 50] é um fluido com elevada proteção (SPF 50) que regula a produção de sebo, matifica, hidrata e protege dos raios UVA, UVB e da luz azul todas as peles sensíveis oleosas e com tendência acneica

 

O excesso de produção de sebo, que pode causar brilho e obstrução dos poros, é a principal queixa ouvida em consultório associada a este tipo de pele.

“Habitualmente as pessoas apresentam os poros mais dilatados, o que acaba por ser uma desvantagem principalmente para as pessoas que usam maquilhagem; e também nesse sentido, o excesso de produção de sebo ao longo do dia faz com que a maquilhagem possa durar menos, principalmente na zona T, bem como apresentar excesso de brilho”, relata a clínica que dá consulta na Facelab by COAntas e na Clínica Sónia Costa, ambas no Grande Porto.

Cuidados essenciais

Apesar de mais resistente a fatores externos, a pele oleosa não dispensa rotinas de limpeza no dia a dia. A tendência de algumas pessoas pode ser procurar incorretamente produtos mais abrasivos e agressivos para remover o excesso de gordura da pele.

“É errado e pode, inclusivamente, agravar a produção de sebo da pele”, alerta a médica Ana André Rodrigues. “Devem ser usados produtos suaves, com substâncias queratolíticas que ajudem a desobstruir os poros, e a limpeza deve sempre ser realizada de manhã e à noite. No caso da limpeza da noite, recomendo, muitas vezes, uma dupla limpeza, começando por um primeiro passo de remoção da maquilhagem, passando depois para a limpeza efetiva da pele e dos poros”, aconselha a autora do projeto theSkincare by aar.

“Não se deve dispensar a utilização de um sérum de tratamento, habitualmente rico em AHA ou BHA, para controlar a produção de sebo e promover uma exfoliação suave”, indica. “A hidratação é também essencial para este tipo de peles. Devem ser utilizadas texturas mais líquidas como séruns hidratantes ou gel-creme. E por fim, comum a todos os tipos de pele, a proteção solar diária é absolutamente indispensável. No caso de uma pele oleosa, devem ser escolhidos produtos ‘oil free’ e/ou ‘não comedogénicos’ para evitar, mais uma vez, a desregulação da produção sebácea”, refere.

A pele não é estanque e sofre alterações ao longo do ano. “Uma pele pode ter períodos em que é mais ou menos sensível – ou em que está mais sensibilizada – mais ou menos oleosa, mais ou menos seca… Não só a genética, mas também outros fatores e até mesmo alterações do pH da água que usamos todos os dias podem ter impacto na pele”, adverte a clínica que sugere consultas regulares sempre que notar alterações significativas na pele.

Por outro lado, cremes não adaptados para uma pele oleosa podem desregular a produção sebácea bem como alterar a barreira cutânea e, com isso, “potenciar a oclusão do folículo e consequente colonização bacteriana que levam a uma resposta inflamatória aumentada”, comenta.

Acne não é uma inevitabilidade

Nem todas as pessoas com pele oleosa vão ter acne. A acne é uma doença inflamatória crónica da pele e é determinada por diversos fatores, entre eles fatores genéticos – o mais importante e que determina a precocidade e intensidade da acne –, ambientais e hormonais. “Afeta maioritariamente adolescentes e jovens adultos – cerca de 80 a 90% – e pode persistir até à idade adulta”, sublinha a médica.

E espremer borbulhas é mesmo proibido? A médica Ana André Rodrigues não tem dúvidas. “É totalmente proibido. Todos o fazemos, não é verdade? Mas não devíamos. Espremer uma borbulha vai levar a uma maior reação inflamatória, pode levar a uma proliferação bacteriana ainda maior e tudo isto torna-se a ‘receita’ ideal para ficar com as tão conhecidas marcas – a chamada hiperpigmentação pós-inflamatória – e cicatrizes”, responde.

“O que podemos fazer para tentar ajudar no processo de cicatrização é adicionar à rotina de skincare cuidados de ação local que ajudem a melhorar a inflamação e, consequentemente, diminuam o tempo necessário para o desaparecimento das borbulhas”, recomenda.

Fazer escolhas certas

Os cremes não são todos iguais e é importante investir em cuidados personalizados. A pensar nas pessoas com pele oleosa, a Sensilis lançou recentemente no mercado a gama Pure Age Perfection que propõe, de forma descomplicada, uma solução para um paciente com pele oleosa, mas que quer também prevenir ativamente o envelhecimento.

“O que me faz gostar tanto desta gama é que não estamos só a cuidar da questão da oleosidade da pele mas, ao mesmo tempo, temos um cuidado antienvelhecimento adaptado a peles sensíveis ou sensibilizadas, ou seja, que nos dá a garantia que não vamos, de modo algum, agravar a inflamação a que a pele pode já estar sujeita”, garante a médica.

“A gama Pure Age Perfection é, sem dúvida, uma gama ideal para os cuidados de uma pele oleosa”, admite.

“A combinação única de ativos nos produtos da gama faz com que que os pacientes possam usar produtos como o retinal – um derivado do tão conhecido retinol, um agente de renovação celular por excelência e, por isso, muito importante nos cuidados antienvelhecimento – sem se preocuparem se esse produto vai agravar a oleosidade da pele ou fazer com que surjam borbulhas”, esclarece.

 

Legenda da imagem: Pure Age Perfection [Retinal] é um gel oil free que redensifica e aperfeiçoa as peles sensíveis oleosas e com tendência acneica

Outra grande vantagem desta gama é a simplicidade da mesma. “Com um pequeno número de produtos conseguimos atuar ativamente nos aspetos mais importantes que condicionam a oleosidade da pele, proporcionar um cuidado de esfoliação diária suave, mas eficaz, para evitar a obstrução dos poros e ainda auxiliar no tratamento de manchas e hiperpigmentações, redução da inflamação da pele e renovação celular… Tudo isto sem deixar a pele sensibilizada”, frisa.

“A gama está bastante bem conseguida e feita para que, com uma rotina bastante simples, se consiga ter um cuidado extremamente completo para este tipo de peles”, assevera. “E tenho de admitir que o Azelaic [Peel], pela sua inovação, versatilidade e ação potenciadora de 3 tipos de rotinas diferentes (pele oleosa, pele com manchas – que tantas vezes coexistem – e peles com tendência a vermelhidão) me conquistou desde o início”, admite.

“Para além dos produtos da gama, costumo acrescentar um cuidado de hidratação que vou buscar à gama Hydra Essence, neste caso, o Hydra Essence [Sobert Gel], que pela sua textura em gel-creme se torna ideal para o cuidado de hidratação (que nunca deve ser esquecido) deste tipo de peles”, conta. “E também um dos meus produtos favoritos de sempre, o Resurfacing Black Peel, esfoliante suave que vai estimular a renovação celular, melhorar a textura, relevo e tom da pele e que, numa pele oleosa, vai proporcionar um cuidado de limpeza e anti-idade extra perfeito para completar a rotina”, conclui.

Legenda da imagem: Azelaic [Peel] é indicado em todo o tipo de peles sensíveis com manchas, vermelhidão ou tendência acneica, e é um dos produtos preferidos da Dra. Ana André Rodrigues

10 dicas da médica Ana André Rodrigues para corrigir sinais de envelhecimento numa pele oleosa:

  1. Beber pelo menos 35ml por quilograma de peso de água por dia;
  2. Ter uma rotina de sono, com períodos de descanso entre 7h a 9h por noite;
  3. Aumentar a ingestão de alimentos ricos em fibra na dieta – a regulação do trânsito intestinal é essencial para um correto funcionamento do nosso organismo com implicações, claro, na nossa pele;
  4. Não fumar – são inúmeros os estudos que demonstram uma associação direta entre os hábitos tabágicos e o envelhecimento da pele;
  5. Nunca dormir sem remover a maquilhagem e lavar sempre corretamente o rosto;
  6. Não esquecer os cuidados de hidratação – as peles oleosas também precisam de ser hidratadas;
  7. Ter uma rotina de skincare adequada e adaptada durante todo o ano – a Gama Pure Age Perfection é a aliada perfeita;
  8. Colocar protetor solar todos os dias – sem exceção;
  9. Realizar limpezas de pele profissionais pelo menos a cada mudança de estação;
  10. Procurar os cuidados em consultório de um médico especializado que possa abordar de forma mais direta e eficaz algumas questões – como acne ativo ou cicatrizes de acne – e também outros sinais relacionados com a idade.

Gostou deste artigo? Partilhe-o.

Produtos nesta história

Artigos relacionados

Cuidado-da-pele, Sustentabilidade | 25 Outubro

A liderar mudanças na sustentabilidade

Na Sensilis, estamos há mais de um ano a preparar a marca para o futuro que, na verdade, já é o presente. Revimos o Brand equity para manter a tradição farmacêutica de 40 anos.

Mudámos e queremos destacar alguns valores: a nossa sociedade, o nosso estilo de vida e nós, que também mudámos. Hoje temos mais motivos para falar sobre pele sensível do que os visionários de há 40 anos atrás.

Cuidado-da-pele, Pele-sensivel | 6 Outubro

Hiperpigmentação: Existem soluções eficazes mesmo em pele sensível

Ninguém gosta de ter a pele manchada. Mas a exposição solar desadequada, o normal envelhecimento cutâneo, alguns fármacos e a biologia individual de cada um, por vezes, ditam as regras do jogo. Neste artigo, falámos com a médica Joana Parente para perceber a origem da hiperpigmentação da pele, conhecer estratégias para travá-la e se possível evitá-la desde cedo. Na batalha contra as manchas, queremos que a saúde da pele fale mais alto.

Cuidado-da-pele, Factores-de-crescimento, Pele-sensivel, Retinol, Rugas, Solares | 2 Dezembro

A pele é para ser cuidada desde cedo, mas nunca é tarde para começar

Se é certo que o envelhecimento do ser humano é irreversível, também não deixa de ser verdade que é possível atenuar esse processo natural e mimar as necessidades da pele. Fomos à procura de estratégias para potenciar a saúde cutânea com o médico de Medicina Estética Pedro Santos, que nos deixou as suas melhores recomendações na prevenção e tratamento do maior órgão do corpo humano.